sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Natal chegando... Papai Noel vem aí! ou não?

Enfim o Natal!  Luzes piscando, músicas natalinas, cidade enfeitada e o mundo decorado em vermelho com o gorro do papai noel!  Tudo tem papai noel!  Há uns 3 anos atrás comecei a ver algumas mães questionando sobre manter o mito do bom velhinho ou não!  A primeira vez que ouvi sobre isso eu tinha a Luiza com 3 anos e uma amiga da Igreja me disse que somos ensinados a não mentir, então ela não mentiria para filha sobre o papai noel!
Confesso que nunca, nunquinha eu vou entrar em uma discussão dessa!  Cada um está livre para mentir, iludir, enganar ou fantasiar juntos com seus filhos.  O que vou escrever é sobre mim, minha família, meus filhos, nossos Natais!
Eu fui uma criança enganada.  Eu fui uma criança iludida com o mito do papai noel!  E essa é a lembrança mais doce, mais gostosa e mais feliz que tenho de toda a minha infância!  O Natal era mágico!
Fazíamos o Natal na casa da minha avó!  Tenho algumas lembranças como o cheiro, geralmente era de uma ave, assando.  A sobremesa sempre doce e depois dos presentes.  Os sons se misturam com o Natal da Xuxa, Roberto Carlos cantando e a missa do galo já em meio aos barulhos das brincadeiras com os presentes...  Minha lembrança da árvore é uma lembrança boa!  Para mim, era a árvore mais linda de todas as árvores já vista!  Minha tia sempre comprava arvores naturais!  Para mim elas eram grandes, verdinhas lindas!  Enfeitávamos com bolinhas de vidro e sempre quebrava algumas!


Nossos Natais eram sempre parecidos.  Minha mãe fazia eu dormir de tarde para conseguir ficar acordada até mais tarde!  No fim da tarde eu tomava banho e minha mãe colocava em mim uma roupa bonita!  Íamos alegres para a casa da minha vó!  Lá estavam meus primos, tias e nós ficávamos brincando felizes na expectativa da hora do papai noel passar!  O papai noel era muito real para mim e meus primos.  Era ele quem trazia os presentes!  Logo após a ceia, que nunca era muito tarde, alguém dizia que o papai noel devia estar perto.  Minha tia tinha um sino e alguém sempre tocava o sino no quintal e a gente já sabia que o papai noel estava bem perto!  Então íamos procurar por ele no quintal ou na rua.  Essa era a hora que levavam os presentes e deixavam em volta da árvore!  Lembro de um natal que chovia e fomos para o quarto brincar e então o papai noel passou!  Ele passava na velocidade de uma piscada e a gente nunca conseguia ver!  Era como mágica!  Para nós, os presentes apareciam em um segundo!  E no segundo seguinte era tudo festa!  O barulho dos pacotes rasgando, o cheiro do papel e dos brinquedos novos!  Todos os anos papai noel trazia panos de prato e um calendário de tecido para minha avó!  Teve um ano, eu tinha 4 anos, que o papai noel apareceu em pessoa para nos deixar presentes!  Como ele era grande!  Como ele foi legal!
Descobri que papai noel não existia com 5 anos.  Nesse ano meu tio foi incumbido da tarefa de nos levar para procurar o papai noel na rua.  Devia ser cedo, pois o bar do Seu João ainda estava aberto.  Fomos andando e passamos pelo bar.  Meu tio perguntou se o papai noel já tinha passado por lá e nos disseram que sim!  Voltamos pela rua atentos aos sons e olhando para o céu!  eu juro até hoje que vi o trenó do papai noel no céu!  Quando nos aproximamos de casa minha tia apareceu no portão e disse que o papai noel já havia passado.  Eu fui rápida!  Corri na frente de todos e abri a porta da cozinha.  Vi minha outra tia carregando o "motão" que meu primo ia ganhar nesse natal.  Ela só estava entrando na sala com o motão no colo!  Abrimos os presentes, ficamos felizes.  em casa eu inflei meu peito e disse para minha mãe que papai noel não existia!  Claro que ela disse que existia sim!  Então, no alto dos meus 5 anos eu expliquei minha teoria sobre a não existência do papai noel: "Eu vi a Tata carregando o motão do kiko!  Então são vocês que compram os presentes!".  Minha mãe até tentou argumentar e dizer que o velhinho deixava tudo espalhado, porém eu estava tão orgulhosa de não ser mais uma criança pequena, que ela desistiu!  Confessou que não existia mesmo!  Eu tinha 5 anos e meio e lembro até onde eu estava durante essa conversa!  Eu fiquei tão feliz com isso!  Foi um passo muito grande para mim!  Eu sabia de um segredo que nenhuma criança sabia!  Eu fazia parte de um clube que só os adultos fazem parte: o clube das pessoas grandes que compram os presentes para as crianças!  Eu não precisava mais ficar em casa quando os presentes fossem ser comprados no ano seguinte!  Eu era grande!
Eu quis saber quem me deu cada presente!  Eu quis saber quem era o papai noel do ano anterior (um vizinho!).  Eu quis saber se o Du e o Kiko também sabiam desse segredo!
Apesar de eu ter descoberto o segredo do papai noel, o natal continuou sendo mágico!  Tão mágico que minhas lembranças se confundem.  Eu ainda ia procurar o papai noel com meus primos.  Eu ainda esperava pelo natal com a mesma ansiedade!  E muitas vezes eu não sei se o natal que lembro foi antes ou depois do segredo ser descoberto!
A única coisa muito chata disso foi que eu passei a não gostar nem de olhar para o papai noel no shopping ou na rua, pois eu não queria que as pessoas grandes achassem que eu era criança!  Coisa boba!  Lamento por isso!  Mas eu era assim!


E com meus filhos eu nunca nem imaginei em não fantasiar o papai noel junto com eles!  Para mim, é toda a mágica do natal!  É o mistério, o segredo, o encanto que montam nossa tradição de natal aqui em casa!  Há 16 anos seguindo o mesmo ritual!  Luiza e Henrique não acreditam mais em papai noel.  Pietro e Francisco acreditam e esperam por ele!  Pietro acredita que, apesar de todos os brinquedos que tem nas lojas, os presentes que o papai noel traz é ele mesmo que fabrica!  é um presente com mágica!


Sabe, respeito quem não tem a tradição do papai noel.  Só não concordo em dizer o que minha amiga dizia: não fala do papai noel pq é uma mentira e não vai mentir para a filha!  Não!  Não é por só contar a verdade, não é por causa de mentiras!  As razões geralmente são outras!  Conheço pessoas que não fantasiam devido ao consumismo.  Conheço pessoas que simplesmente não tem a tradição, por tanto não tem sentido para elas inventar um bom velhinho presenteador se não tem o que passar sobre isso para os filhos!  Conheço pessoas que tinham medo do papai noel. Nada mais justo não passar para o filho essa história, afinal para ela não trás boas lembranças!  Por isso, sempre que ouço alguém dizendo que não vai mentir ou iludir ou enganar o filho com a história mentirosa do papai noel eu fico com pena.  Fico sim!  Na verdade não é a mentira ou a ilusão, mas algo maior por trás.  E a minha pena vem pq ela não reconhece os motivos dela!  Talvez natais tristes, talvez natais alegres sem papai noel, talvez o consumismo a incomode, mas certamente não é a mentira!  As mentiras da vida são muito maiores do que um simples papai noel!  E não é dizendo que o papai noel não existe que todas as mentiras passaram a ser verdades!

Aqui é tradição da família!  Gosto de tradições.  Gosto de fazer coisa que espero que sejam repetidas com meus netos.  Gosto disso e o papai noel faz parte da nossa tradição!  Convido você, que leu essa postagem e não tem a tradição papai noel, a me contar uma tradição da sua família!  Eu queria saber uma tradição de natal, mas se você não comemora o natal ou tem alguma outra tradição que acha muitoooo mais legal, compartilha comigo?!

Um feliz Natal para quem curte natal!
Boas festas para todos!!!!

Um comentário:

Amanda Lopes Calvão disse...

Se você está precisando de uma renda extra para complementar o seu salário, então acesse o site https://www.frpromotora.com/amandacalvao5026128 e conheça o nosso sistema. Informe-se sobre nossos benefícios como chip da Nextel, plano de saúde e previdência privada, além dos ganhos mensais e semanais.