sábado, 10 de maio de 2014

Menino de azul! Menina de rosa!

Quando eu era criança e tinhas uns sete ou oito anos, eu ficava na casa da minha avó.  Meus primos moravam na casa dos fundos.  Dois primos.  Dois meninos.  Um da mesma idade que eu, apenas um mês mais novo e o outro um ano mais novo.  Crescemos juntos.  Apesar de gostar de bonecas, minhas brincadeiras constantes eram de polícia e ladrão (eu adorava chutar a porta empunhando um cabo de vassoura e gritar "Swat! Quietinho!"), comandos em ação (eram horas brincando na terra e criando fortes de pedra), carrinhos (eu tinha uma coleção de mais de cinquenta carrinhos de plásticos), futebol, bicicleta...  Eu odiava com todas as forças usar saia ou vestido.  Odiava!!!  Minhas roupas eram shorts, bermudas, camisetas e boné!  Eu passava o dia rodeada de meninos, pois na rua da casa da minha avô não tinha meninas da minha idade para brincar.
Hoje em dia vejo um exagero absurdo e radical em relação às brincadeiras, vestimenta e comportamento dos meninos e meninas!  Primeiro, ou talvez o que tenha me chamado a atenção primeiro, foi a questão dos meninos tbm poderem brincar de bonecas!  Praticamente foi levantada uma campanha para que deixassem os meninos brincar de boneca!  Logo depois comecei a notar uma campanha para que as meninas não fossem criadas para serem fúteis!  Como assim?  Não chamar de princesa pq remete e induz a submissão.  Permitir que brinquem de bola, carrinhos e cutuquem o nariz kkkk.  Parar imediatamente com a cultura do rosa/lilás para meninas e azul para meninos.
Acho interessante e construtivo que as pessoas saibam que meninos podem usar rosa e brincar de boneca e que meninas podem gostar de futebol e vestir azul!  Ainda temos muitos pais e mães que acham que o menino vai virar homossexual se encostar o dedo em uma Barbie!  Mas vamos combinar que está havendo um certo exagero nisso?  O que vejo aos montes pela internet são meninos sendo meninos como sempre foram, com, no máximo, uma camiseta cor de rosa e uma panela na mão.  Enquanto as meninas estão sendo desfeminilizadas completamente!  Vemos meninos e sabemos que eles são meninos. Vemos meninas que achamos que são meninos!  Como assim?  Isso não é machismo, querer que nossas meninas se pareçam com meninos?  Hoje em dia vemos mães em altas discussões pq são contra colocar um brinco na filha, pois não sabem se ela vai querer usar quando crescer!  Mas o cabelo comprido a criança usa!  Será que ela queria ter longos cabelos?  Roupas: elas estão livres para escolher um tênis do batman ou da Barbie e são aplaudidas por escolherem o do batman.  Se escolhe o da Barbie a mãe se preocupa que a filha se torne fútil e dondoca!  As meninas de hoje não podem vestir rosa pq é símbolo de fragilidade, futilidade e é uma cor estereotipada.  Por isso as meninas que têm mães conscientes e antenadas não as vestem de rosa.  E se a filha começa a pedir para usar roupas rosa a mãe se preocupa, pois imagina que logo a filha pedirá para ser chamada de princesa e se torne fútil!
Enquanto as mães de meninas estão desfeminilizando as filhas, as mães de meninos, no máximo estão usando camisetas rosas e comprando panelinhas e bebês de plástico!  Continuam sendo incentivados serem superherois e são chamados de garotão, meninão e no mês de heróis!  Cadê a liberdade para usar um tênis da Barbie?  Eu vejo sempre meninas com tênis de superheroi, mas nunca vi um menino com tênis da Barbie, monster high ou moranguinho.  Será que eles não gostam dos modelos ou será que na hora de comprar, esses modelos não são apresentados para eles?  Já vi meninas com fantasia do homem aranha, mas nunca vi um menino fantasiado de mulher maravilha ou com um vestido de princesa!  Alguém me explica qual a lógica disso?  Pq, de repente, as meninas podem se comportar e se vestir como meninos, mas os meninos não podem se comportar e se vestir como meninas?  Qual a lógica?
Gente! Pelamor!   O que estão fazendo com nossas crianças?  Pq não deixamos nossas meninas usarem rosa, brinco, andarem por aí pensando que são princesas cor de rosa, pintarem suas micro unhas para imitar a mamãe, usarem  batom com gostinho de morango enquanto correm por aí com seus cabelos suados e cheiro de criança livre?  Pq não deixamos nossas filhas usarem tênis do batman com saia de babado num dia e no outro brincar com Barbie e carro do maxsteel?  E nossos meninos?  Pq não deixamos eles usarem tênis da Barbie enquanto chutam bola?  Pq não permitimos que experimentem um vestido de princesa só pra experimentarem como uma menina se sente ao vestir uma fantasia do batman?
Pq simplesmente não deixamos que eles realmente escolham, sem nossa influência, já que os influenciamos em todo o resto, da alimentação ao comportamento?
Eu escolhi passar minha infância inteira brincando com meninos, usando roupas "de menino". Poderia ter passado a minha infância inteira vestida de rosa e de vestidos e tenho certeza de que seria exatamente quem sou hoje, talvez gostando mais de maquiagens, sapatos e perfumes hehehe
Acho tão triste as pessoas acharem que ao chamar suas filhas de princesa estão influenciando para que ela seja submissa...  Além de triste, acho completamente descabido isso!  A submissão, a futilidade, a agressividade não vem por causa de um jeito carinhoso de chamar!  Outros fatores tornam uma menina fútil ou submissa.  Outros aforres tornam um menino agressivo e machista.
Vamos pensar no que estamos realmente fazendo com nossas filhas e filhos!  Deixemos eles livres!  Sem esquecer que liberdade é poder escolher.  E sem esquecer que as escolhas se baseiam nas opções que oferecemos!

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Natal chegando... Papai Noel vem aí! ou não?

Enfim o Natal!  Luzes piscando, músicas natalinas, cidade enfeitada e o mundo decorado em vermelho com o gorro do papai noel!  Tudo tem papai noel!  Há uns 3 anos atrás comecei a ver algumas mães questionando sobre manter o mito do bom velhinho ou não!  A primeira vez que ouvi sobre isso eu tinha a Luiza com 3 anos e uma amiga da Igreja me disse que somos ensinados a não mentir, então ela não mentiria para filha sobre o papai noel!
Confesso que nunca, nunquinha eu vou entrar em uma discussão dessa!  Cada um está livre para mentir, iludir, enganar ou fantasiar juntos com seus filhos.  O que vou escrever é sobre mim, minha família, meus filhos, nossos Natais!
Eu fui uma criança enganada.  Eu fui uma criança iludida com o mito do papai noel!  E essa é a lembrança mais doce, mais gostosa e mais feliz que tenho de toda a minha infância!  O Natal era mágico!
Fazíamos o Natal na casa da minha avó!  Tenho algumas lembranças como o cheiro, geralmente era de uma ave, assando.  A sobremesa sempre doce e depois dos presentes.  Os sons se misturam com o Natal da Xuxa, Roberto Carlos cantando e a missa do galo já em meio aos barulhos das brincadeiras com os presentes...  Minha lembrança da árvore é uma lembrança boa!  Para mim, era a árvore mais linda de todas as árvores já vista!  Minha tia sempre comprava arvores naturais!  Para mim elas eram grandes, verdinhas lindas!  Enfeitávamos com bolinhas de vidro e sempre quebrava algumas!


Nossos Natais eram sempre parecidos.  Minha mãe fazia eu dormir de tarde para conseguir ficar acordada até mais tarde!  No fim da tarde eu tomava banho e minha mãe colocava em mim uma roupa bonita!  Íamos alegres para a casa da minha vó!  Lá estavam meus primos, tias e nós ficávamos brincando felizes na expectativa da hora do papai noel passar!  O papai noel era muito real para mim e meus primos.  Era ele quem trazia os presentes!  Logo após a ceia, que nunca era muito tarde, alguém dizia que o papai noel devia estar perto.  Minha tia tinha um sino e alguém sempre tocava o sino no quintal e a gente já sabia que o papai noel estava bem perto!  Então íamos procurar por ele no quintal ou na rua.  Essa era a hora que levavam os presentes e deixavam em volta da árvore!  Lembro de um natal que chovia e fomos para o quarto brincar e então o papai noel passou!  Ele passava na velocidade de uma piscada e a gente nunca conseguia ver!  Era como mágica!  Para nós, os presentes apareciam em um segundo!  E no segundo seguinte era tudo festa!  O barulho dos pacotes rasgando, o cheiro do papel e dos brinquedos novos!  Todos os anos papai noel trazia panos de prato e um calendário de tecido para minha avó!  Teve um ano, eu tinha 4 anos, que o papai noel apareceu em pessoa para nos deixar presentes!  Como ele era grande!  Como ele foi legal!
Descobri que papai noel não existia com 5 anos.  Nesse ano meu tio foi incumbido da tarefa de nos levar para procurar o papai noel na rua.  Devia ser cedo, pois o bar do Seu João ainda estava aberto.  Fomos andando e passamos pelo bar.  Meu tio perguntou se o papai noel já tinha passado por lá e nos disseram que sim!  Voltamos pela rua atentos aos sons e olhando para o céu!  eu juro até hoje que vi o trenó do papai noel no céu!  Quando nos aproximamos de casa minha tia apareceu no portão e disse que o papai noel já havia passado.  Eu fui rápida!  Corri na frente de todos e abri a porta da cozinha.  Vi minha outra tia carregando o "motão" que meu primo ia ganhar nesse natal.  Ela só estava entrando na sala com o motão no colo!  Abrimos os presentes, ficamos felizes.  em casa eu inflei meu peito e disse para minha mãe que papai noel não existia!  Claro que ela disse que existia sim!  Então, no alto dos meus 5 anos eu expliquei minha teoria sobre a não existência do papai noel: "Eu vi a Tata carregando o motão do kiko!  Então são vocês que compram os presentes!".  Minha mãe até tentou argumentar e dizer que o velhinho deixava tudo espalhado, porém eu estava tão orgulhosa de não ser mais uma criança pequena, que ela desistiu!  Confessou que não existia mesmo!  Eu tinha 5 anos e meio e lembro até onde eu estava durante essa conversa!  Eu fiquei tão feliz com isso!  Foi um passo muito grande para mim!  Eu sabia de um segredo que nenhuma criança sabia!  Eu fazia parte de um clube que só os adultos fazem parte: o clube das pessoas grandes que compram os presentes para as crianças!  Eu não precisava mais ficar em casa quando os presentes fossem ser comprados no ano seguinte!  Eu era grande!
Eu quis saber quem me deu cada presente!  Eu quis saber quem era o papai noel do ano anterior (um vizinho!).  Eu quis saber se o Du e o Kiko também sabiam desse segredo!
Apesar de eu ter descoberto o segredo do papai noel, o natal continuou sendo mágico!  Tão mágico que minhas lembranças se confundem.  Eu ainda ia procurar o papai noel com meus primos.  Eu ainda esperava pelo natal com a mesma ansiedade!  E muitas vezes eu não sei se o natal que lembro foi antes ou depois do segredo ser descoberto!
A única coisa muito chata disso foi que eu passei a não gostar nem de olhar para o papai noel no shopping ou na rua, pois eu não queria que as pessoas grandes achassem que eu era criança!  Coisa boba!  Lamento por isso!  Mas eu era assim!


E com meus filhos eu nunca nem imaginei em não fantasiar o papai noel junto com eles!  Para mim, é toda a mágica do natal!  É o mistério, o segredo, o encanto que montam nossa tradição de natal aqui em casa!  Há 16 anos seguindo o mesmo ritual!  Luiza e Henrique não acreditam mais em papai noel.  Pietro e Francisco acreditam e esperam por ele!  Pietro acredita que, apesar de todos os brinquedos que tem nas lojas, os presentes que o papai noel traz é ele mesmo que fabrica!  é um presente com mágica!


Sabe, respeito quem não tem a tradição do papai noel.  Só não concordo em dizer o que minha amiga dizia: não fala do papai noel pq é uma mentira e não vai mentir para a filha!  Não!  Não é por só contar a verdade, não é por causa de mentiras!  As razões geralmente são outras!  Conheço pessoas que não fantasiam devido ao consumismo.  Conheço pessoas que simplesmente não tem a tradição, por tanto não tem sentido para elas inventar um bom velhinho presenteador se não tem o que passar sobre isso para os filhos!  Conheço pessoas que tinham medo do papai noel. Nada mais justo não passar para o filho essa história, afinal para ela não trás boas lembranças!  Por isso, sempre que ouço alguém dizendo que não vai mentir ou iludir ou enganar o filho com a história mentirosa do papai noel eu fico com pena.  Fico sim!  Na verdade não é a mentira ou a ilusão, mas algo maior por trás.  E a minha pena vem pq ela não reconhece os motivos dela!  Talvez natais tristes, talvez natais alegres sem papai noel, talvez o consumismo a incomode, mas certamente não é a mentira!  As mentiras da vida são muito maiores do que um simples papai noel!  E não é dizendo que o papai noel não existe que todas as mentiras passaram a ser verdades!

Aqui é tradição da família!  Gosto de tradições.  Gosto de fazer coisa que espero que sejam repetidas com meus netos.  Gosto disso e o papai noel faz parte da nossa tradição!  Convido você, que leu essa postagem e não tem a tradição papai noel, a me contar uma tradição da sua família!  Eu queria saber uma tradição de natal, mas se você não comemora o natal ou tem alguma outra tradição que acha muitoooo mais legal, compartilha comigo?!

Um feliz Natal para quem curte natal!
Boas festas para todos!!!!

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Preconceito!

video

*Preconceito = é um "juízo" preconcebido, manifestado geralmente na forma de uma atitude "discriminatória" perante pessoas, lugares ou tradições considerados diferentes ou "estranhos". Costuma indicar desconhecimento pejorativo de alguém, ou de um grupo social, ao que lhe é diferente. As formas mais comuns de preconceito são: social, "racial" e "sexual". (http://pt.wikipedia.org/wiki/Preconceito)

Na vida tudo passa
não importa o que tu faça
O que te fazia rir
hoje já não tem mais graça
Tudo muda
Tudo troca de lugar
o filme é o mesmo
só o elenco que tem que mudar
Que alterar pra poder se encaixar
se não for pra ser feliz é melhor largar
Então se ligue e busque felicidade
pra existir história tem que existir verdade
Numa estrela cadente o sonho se faz presente
no compasso do batuque de um coração doente
A fera tá ferida mas não tá morta
Deus fecha a janela mas deixa aberta a porta

Porque o sol não se tampa com a peneira
Pra quem já tá molhado um pingo é besteira
Renovo minha força vendo o sol se pôr
pensamento longe renovo meu amor
Minha voz faz eco, tristeza que eu veto
não importa qual o papo
O papo aqui tem que ser reto
E cada chaga que a gente traz na alma
é a confirmação de que a ferida sara
E se restaura, já foi cicatrizada
eleve as mãos pros céus
Que a tua alma tá blindada
pois ninguém vive conto de fadas
Prefiro meu degrau do que sua escada

Que por sinal é pra subir e pra descer
um degrau de cada vez é assim que tem que ser
Tá entendendo o que eu tô falando?
Caiu a ficha ou ainda tá boiando?
Minhas palavras pairam pelo ar
e o meu show tem que continuar
por isso eu continuo no rap eu destruo
Como dizia Ali dou ferroadas e flutuo
Que nem no ringue tem que ter molejo
na minha criação a força vence o medo

Sem querer controlar o que sinto
Vivo sem deixar sombras no tempo

Então se ligue
Busque felicidade
Pra existir história tem que existir verdade
Então se ligue
Pra existir história tem que existir verdade


Certa vez, me disseram que essa música era cantada por um grupo de jovens tatuados e drogados.  Quem canta essa música é Túlio Dek e a banda NX Zero. Túlio Dek é um cantor e compositor de Rap que gosta de escrever sobre felicidade e realização de sonhos.  A banda NX Zero é formada por 5 rapazes que queriam ser famosos fazendo o que gostavam!  As músicas deles geralmente falam sobre paixões não correspondidas, grandes amores, desafios da vida e tal...  Essa é a mesma banda que canta a música "cedo ou tarde": "Cedo ou tarde a gente vai se encontrar/tenho certeza, numa bem melhor/ eu sei que quando canto você pode me escutar ".  Essa música foi escrita para o pai do guitarrista da banda, que faleceu quando ele tinha 2 anos de idade. 

O preconceito é algo que me mata!  E não só mata (figurativamente falando) a mim, como tbm faz morrer para mim o preconceituoso.  Certamente, vc que está lendo concorda comigo e deve estar balançando afirmativamente a cabeça e pensando em preconceito racial e preconceito contra gays...  Esses preconceitos tbm me enojam, mas não é sobre eles somente que quero falar! Outro dia eu estava fazendo umas pesquisas na internet sobre brasileiros morando no exterior.  Em meio às pesquisas me deparo com uma entrevista de uma brasileira que mora em Salt Lake City e em algum momento apareceu o comentário de que Salt lake é uma das cidades mais conservadoras e preconceituosas dos EUA devido à religião predominante nela!  Opa!  Pára tudo!  Como assim?  A minha religião é uma religião preconceituosa?  A religião onde temos como líder Jesus Cristo, o maior exemplo da humanidade de como devemos ser, é uma religião preconceituosa?

Fiquei um tanto P da vida com isso!  Mas logo tudo passou a fazer mais sentido para mim quando pensei melhor e percebi que minha religião não é preconceituosa.  Preconceituoso é o ser humano, seja da minha religião ou de outras.  O ser humano muitas vezes se deixa blindar a visão e a mente, tornando-se intolerante e preconceituoso.

Gordon B. Hinckley, que foi presidente da Igreja, disse: "Respeitem as opiniões e os sentimentos das outras pessoas. Reconheçam as virtudes que elas possuem; não olhem para seus erros. Procurem nelas seus pontos fortes e qualidades e vocês encontrarão força e virtudes que os ajudarão em sua própria vida".  Somos orientados a RESPEITAR as opiniões e sentimentos das pessoas!  Somos orientados a reconhecermos as VIRTUDES das pessoas e não olharmos para os seus erros!  Somos orientados a procurar nas pessoas seus pontos fortes e QUALIDADES, pois assim encontraremos força e virtudes que nos AJUDARÃO na nossa vida!!!!!!  Mas não são todos os que fazem isso!

Teve uma outra autoridade que disse que cheiro de cigarro na capela é o melhor cheiro que tem, pois é o cheiro de uma pessoa voltando à Cristo!  Mas quando alguém sente cheiro de cigarro e bebida, logo se afasta da pessoa e fala mal á meia boca!  Esse é o ser humano cruel e implacável!

Eu já fui alvo de preconceito.  Minha tatuagem de gatinho no tornozelo foi motivo de olhares feios e comentários maldosos da parte de uma "amiga" minha, que fazia questão de dizer que eu tinha uma pichação no corpo!  Recentemente o preconceito atacou de novo minha casa. Luiza quis ter cabelos coloridos (roxo, vermelho, azul...).  Deixei!  Afinal, a maioria das cores que tem em salão de beleza não são cores naturais de cabelo, mas fazem sucesso!  Quem me garante que daqui há uns anos, mulheres não irão ao salão tingir de azul?  Já tingem de vermelho e acham normal...  A primeira cor foi roxo!  Ficou lindo!  Depois foi vermelho. Então ela quis colocar um piercing no lábio.  Um brinco!!!  Uma argolinha!  Eu deixei, fui junto e ela e eu ficamos felizes!  Eu, por ter permitido que ela se expressasse livremente colocando um brinco onde queria, e ela por poder colocar o brinco onde queria!!!!  Pouco depois ela resolveu cortar o cabelo, pois estava maltratado devido à química e cortou como o meu: curtinho!  E tingiu de azul!!!!  Cara!  Ficou lindoooo!  Mas os olhares, os comentários, os julgamentos desnecessários e sem razão alguma passaram a nos atingir!  



Olham para a Luiza como se ela fosse uma delinquente, uma drogada quem sabe!  Talvez ela se pareça muito com uma menina que bebe nos finais de semana com a galera, que chega em casa junto com o nascer do sol, se esgueirando pelos cantos e cai na cama para dormir até às 17 horas, quando vai acordar, fumar um cigarro e sair novamente para se drogar e beber!  Oi?!?  De onde as pessoas tiram essas ideias?

A Luiza tem o cabelo rosa (hoje, pq amanhã pode estar verde ou laranja ou vermelho ou azul), um piercing no nariz e um piercing na língua!  Ela estuda de manhã, faz o segundo ano do ensino médio.  Nunca reprovou nenhuma série.  Está praticamente aprovada, faltando 2 ou 3 pontos para fechar as matérias (ainda estamos em outubro e a escola dela é por trimestre).  Ela sai da escola 12:30 e o Henrique entra às 13.  Apesar de eu levar o Henrique todos os dias, de segunda, quarta e sexta ela vem à pé para ficar com a Rebeca, com o Francisco e o Pietro e eu não precisar levá-los todos juntos.  Ela leva cerca de 15 minutos.  Quando chega, eu saio!  Após o almoço é ela quem lava a louça todos os dias.  Aliás, todas as louças da casa é responsabilidade dela.  Após a louça, Luiza fica na sala ou no quarto dela com o computador.  Entra no face, baixa músicas, joga...  Se eu preciso recolher uma roupa ou estender e não estou com tempo para fazer, é para ela que eu peço e ela é quem faz.  Pode até fazer reclamando vez ou outra, mas faz.  Sempre!  Se eu quero descansar um pouco e dormir de tarde e o o irmão faz cocô, quem limpa é ela, sem me acordar, sem reclamar!  De noite eu faço faculdade só pq tenho a Luiza para ficar com os irmãos!  Luiza cuida sozinha dos 4 irmãos todas as noites!  Inclusive Rebeca, que desde setembro ( com 8 meses) fica em casa todas as noites.  E o que ela faz quando eu saio?  É ela quem dá comida para eles.  É ela quem escova os dentes deles.  É ela quem lê história e coloca os meninos para dormir todas as noites.  É ela quem troca a fralda de cocô da Rebeca quando precisa.  É ela quem faz Rebeca dormir se está com sono.  E quando estou atrasada para sair para a faculdade é ela quem fala "Mãe, vai e deixa que eu dou o banho no Ticô".  Ticô tem 3 anos!  E quando eu chego em casa às 22:30, todos estão dormindo, menos ela, que está na sala esperando para abrir o portão.  A sala arrumada, a louça lavada e os meninos dormindo.  O suco pronto na geladeira (ela tbm é a fazedora oficial de suco da casa!!!).  Os finais de semana sempre começam com prova na escola.  Ela termina e vem para casa.  Ajuda a limpar a casa, ajuda a fazer o almoço: fazedora oficial de arroz!  As tardes e noites de sábado são em casa e nem me lembro quando foi a última vez que ela saiu com amigos.  Quando sai, vai ao shopping e, na maioria das vezes, faz questão de levar o irmão de 10 anos!  Domingo vai à igreja, local onde sabe que sofre olhares de reprovação e julgamentos.  Mas vai todos os domingos e é uma das únicas TRÊS moças ativas da ala!  Domingos à tarde ela torce por algum serão na igreja para poder encontrar alguns amigos de outras alas.  Quando não tem, é em casa que fica mesmo!
 







Essa é a Luiza!  Uma filha de 16 anos que ajuda em casa mais que qualquer filho que eu conheça!  Uma menina, que apesar de toda a adolescência que tem direito, é uma baita irmãzona, que cuida dos irmãos com todo carinho.  Sem ela, eu não teria a menor condição de fazer faculdade, visto que meu marido trabalha de noite e chega em casa depois de mim!  Usar brincos e cabelos coloridos não mudam quem ela é!

Se ela pintasse o cabelo de castanho e tirasse os piercings, ela continuaria sendo a mesma menina que cuida dos irmãos, que não sai com amigos para balada, que respeita os pais, que vai à igreja aos domingos.  E isso as pessoas não enxergam.  Não enxergam que não basta ter cabelos de cor natural se é uma pessoa que desrespeita a família e não valoriza o que tem valor!
Clique para ver a foto ampliada
Essas meninas da foto não tem cabelos coloridos nem piercings.  Estavam no show de Jorge e Mateus aqui na cidade.  Nesse mesmo dia, minha filha estava com seu cabelo azul e seu piercing no lábio no Instituto de Religião da igreja comendo pizza em uma atividade!  

Quando a gente fala em preconceito, a primeira coisa que as pessoas pensam é em preconceito com cor da pele e opção sexual.  Esquecem do preconceito com coisas "pequenas" como brincos e cabelos.  Tenho certeza que a maioria das pessoas não falariam para o filho: "Não ande com aquele menino pq ele é preto."  Pq quando alguém fala isso é muito ofensivo, é muito agressivo.  Mas as pessoas falam "Não ande com aquela menina, pois ela usa piercing na boca e tem cabelo colorido.".  Isso tbm é preconceito, isso tbm é ofensivo e agressivo!

Luiza tem sido vítima de olhares na rua, na escola e na igreja.  Mas ela é uma menina muito legal.  ela não se importa!  Ela está feliz e contente com seu cabelo e seus brincos!  E a mãe babona aqui até incentiva que ela passe mais maquiagem para ficar mais linda, pois ela nem gosta de usar muita coisa no rosto!  Sente-se feliz em ser simples como é!  

Essa postagem não foi para falar só da Luiza, mas foi o caminho que tomou!  Mas algo eu não posso deixar de escrever!  Eu tinha planejado desde o início escrever isso!  Jesus não tinha preconceitos.  Já pensou se tivesse?  Como seriam as escritura se Jesus fosse preconceituoso e fizesse julgamentos?  Modifiquei algumas para ilustrar!

Atenção!  Essas escrituras foram modificadas!!!!  Não são a palavra do Senhor!!!!

Jesus julgando pela aparência (doenças de pele eram um sinal de imundice no sentido de pecados, castigo de Deus).
"E, descendo ele do monte, seguiu-o uma grande multidão.
E, eis que veio um leproso, e o adorou, dizendo: Senhor, se quiseres, podes tornar-me limpo.
E Jesus, recolhendo a mão, não tocou-o, dizendo: Não quero; continue imundo. E se és leproso, significa que tens muitos pecados, seu pecador imundo
"
Mateus 8:1-3 (escritura verdadeira nesse link)


Jesus dando instrução de como fazer com o inimigo!  Imagina como seria!!!!
Mas a vós, que isto ouvis, digo: Pra quê amar a vossos inimigos e fazer bem aos que vos odeiam?
Falem mal dos que vos maldizem, e difamem os que vos caluniam.
Ao que te ferir numa face, oferece-lhe a força de sua mão; e ao que te houver tirado a capa, grite por socorro, pq estão te roubando;
E dá a qualquer que te pedir, um sonoro não; 
E como vós quereis que os homens vos façam, exija que seja do seu jeito, sem respeitá-lo também.

Lucas 6:27-31 (escritura verdadeira nesse link)

E como seria a parábola do samaritano?  Essa seria muito boa!!!
E, respondendo Jesus, disse: Descia um homem de Jerusalém para Jericó, e caiu nas mãos dos salteadores, os quais o despojaram, e espancando-o, se retiraram, deixando-o meio morto.
E, ocasionalmente descia pelo mesmo caminho certo sacerdote; e, vendo-o, passou de largo.
E de igual modo também um levita, chegando àquele lugar, e, vendo-o, passou de largo.
Mas um samaritano, que ia de viagem, chegou ao pé dele e, vendo-o de perto, passou de largo também; 37- Disse, pois, Jesus: vai e faze da mesma maneira.

Lucas 10:30-33 (escritura verdadeira nesse link)

E a melhor de todas!!!  A mulher adultera!  Como seria se Jesus fosse como nós?
E os escribas e fariseus trouxeram-lhe uma mulher apanhada em adultério;
E, pondo-a no meio, disseram-lhe: Mestre, esta mulher foi apanhada, no próprio ato, adulterando.
E na lei nos mandou Moisés que as tais sejam apedrejadas. Tu, pois, que dizes?
Isto diziam eles, tentando-o, para que tivessem de que o acusar. Então Jesus, inclinando-se, escrevia com o dedo na terra.  E escreveu: pode apedrejar, afinal ela é uma adultera, infiel e cruel.  Pode apedrejar!

João 8:3-6 (escritura verdadeira nesse link)

Pessoas da vida!  Antes de julgar alguém, antes de criticar alguém pela aparência dela, pensem em quem ela é!  preconceito não é só racismo!  Se você não diria para uma pessoa que não gosta dela por causa da cor da pele dela, não diga que não gosta de uma pessoa por causa da cor do cabelo dela!  Isso não faz sentido!

E por último, voltando lá na música do início, assista ao vídeo até o fim!  Foi feito especialmente para uma apresentação onde foi falado que a música era inapropriada para a igreja.  Uma pena que essa pessoa é preconceituosa e julga pela aparência.  Uma pena que ela não observe o que as coisas tem de melhor e ais virtuoso!  A música é linda e fala de coisas lindas!  Ah!  Luiza aparece nas fotos lá no final do vídeo!  Linda, ainda de cabelos compridos castanhos, sem piercings e com a mesma personalidade e com o mesmo jeitinho que tem hoje!!!!

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Mãezinha*, mãezona, mais mãe, menasmain**

Luiza nasceu de cesárea agendada.  Virei mãezinha.  Pediatra falou, mãezinha acatou.  Dá Nan, vc não tem leite, seu bb chora de fome, seu leite é fraco, não dá colo pq vicia, deixa chorando no berço para aprendera dormir sozinha, dá papinha com 3 meses.   Eu era mãezinha.
Henrique nasceu de cesárea agendada pq a médica me enganou.  Eu era mãezinha.
Engravidei do Pietro e durante a gravidez dele eu aprendi que eu poderia parir depois de 2 cesáreas, que meu bb poderia nascer em casa, que ele não precisava de chupeta, não precisava de mamadeira, que ele poderia mamar no peito exclusivamente até quando eu quisesse, que ele poderia dormir na minha cama, que ele poderia ficar no meu colo por quanto tempo ele sentisse necessidade...  E mais um mundo de coisas.
Pietro nasceu de cesárea, mas mamou muito no peito e foi exclusivo até 7 meses e meio.  Nasceu de cesárea agendada, mas dormiu na minha cama.  Nasceu de cesárea, mas foi carregado em um sling!  Nasceu de cesárea eletiva, mas usou fraldas de pano! Saí da Matrix.  Descobri um mundo real onde a maternidade simplesmente é!  Deixei de ser mãezinha!
Depois eu pari.  Um VBA3C (um parto normal depois de 3 cesáreas).  E depois pari de novo.  Um 2VBA3C e foi desassistido e foi em casa!
Deixei de ser mãezinha e virei mãezona.  Deixei de ser menasmain para virar mais mãe.  ??????????????
Afinal o que é ser mãezinha?  o que é ser menasmain?
Quando uma colega da faculdade soube que eu usava fraldas de pano nos meus filhos ela falou a frase "Nossa!  A Larissa é mãezona mesmo!"  O fato de eu usar fraldas de pano nos meus filhos me torna mais mãe do que as mulheres que usam fralda descartável?  o fato de eu não dar chupeta nem mamadeira me torna mais mãe?  Pq minha bb dorme comigo eu sou mais mãe?  Pq minha bb é carregada no colo e não é deixada chorando eu sou mãezona?  Pq eu não acato mais às orientações em forma de receita de bolo que os médicos dão eu deixei de ser mãezinha?

Semana passada eu me coloquei para pensar sobre isso e descobri que fora da Matrix as mães se rotulam!  Sim!  Colocam rótulos entre si e isso me incomodou muito!
Aquela mulher que queria muito um parto normal, as não trocou de GO ela "queria querer".
Aquela que planejou um PD, mas foi transferida para o hospital para ter analgesia, ela lutou muito, mas em off, se deixou dominar pela dor, coitada.  é fraca...
Aquela mulher que passou 40 horas em TP e acabou em uma cesárea é uma guerreira lutadora, mas em off é uma coitada, tadinha, não conseguiu.  Mas no próximo ela consegue um vbac ou um vba2c...
Aquela mulher que pariu em casa em um parto tsunâmico desassistido é uma heroína!
Mas se na foto o bb dela aparecer com uma chupeta na boca... cri-cri-cri...  silêncio...  melhor não falar nada...
E tudo em off, na conversa à meia boca (ou meio teclado hehehe) com as amigas, fala mal:
- só usa fralda descartável...
- deu Nan pq acreditou que tinha pouco leite...
- deu chupeta pq queria dormir mais...
- comprou cadeirinha que vibra, brinquedos da Fisher Price e decorou o quarto do bb em NY!!!!
- vai ao pediatra todo mês e dá todas as vitaminas que ele manda!!!
- é consumista
- consome industrializados
- tinge o cabelo
- faz progressiva
- o bb veste roupas importadas carésimas!
Tudo isso é motivo para aquela mãe ser mãezinha e menasmain...

Sabe o que descobri?  Minha descoberta foi bombástica para mim!  Minha descoberta me fez passar dias revendo, repensando, em que mundo eu estou?  Em que mundo eu vivo?  Onde me encaixo?
Descobri que saí da Matrix sim!!!!  Mas descobri que o mundo que entrei não é o mundo das supermães, mãezonas ou mais mães!  é o MEU MUNDO!

Sim!  Eu tive um parto desassistido com 2 horas e meia de TP ativo.  Foi lindo, foi maravilhoso e foi o parto que eu mereci!
Sim, eu uso fraldas de pano nos meus filhos, mas NÃO é para preservar o meio ambiente, não é por ser ecológica, não é por economia!  é pq eu acho confortável.  Mas tbm é pq eu acho as fraldas lindas, maravilhosas, me satisfaz comprá-las e ver minha filha usado! Eu uso fralda de pano por puro CONSUMISMO!!!!  Gasto uma água lascada para lavar minhas fraldas, pois enxáguo milhares de vezes!  Não!  Eu não uso fraldas de pano para preservar o meio ambiente!  Eu uso fraldas de pano pq me sinto feliz em ver minha filha com uma fralda linda!  Pq me sinto feliz quando alguém elogia a fralda dela!  Como as pessoas gostam de escrever #prontofalei

Minha filha dorme comigo, mas não pq eu li em algum lugar sobre criação com apego, mas pq é muto mais fácil amamentar dormindo. Pq ela dorme mais tempo estando do meu lado e pq, sinceramente, eu não aguento ficar levantando e passando noites em claro!

A primeira vez que vi um sling eu quis, não pq acreditava em dar colo para o bb, mas pq achei LINDO aquele modo de carregar no colo e achei que seria super fashion andar pelo shopping carregando um bb em um pano com um rabo esvoaçante!  Acabou que apaixonei por carregar bebês no colo e passei a acreditar na causa, mas isso não me faz mais mãe!  Nem mais consciente na primeira escolha!

Eu não prego o anti-consumismo, eu não sou anti-galinha pintadinha (aliás, eu ADORO a galinha pintadinha!). Eu adoro lembrancinhas bobas dos meus filhos daquelas que a escola pede dinheiro para mandar fazer.  Eu adoro!

Então sabe o que eu penso?  Se ser assim é ser mãezinha, se ser assado é ser mãezona, eu tô fora!
Eu sou eu mesma!  Sou mãe de cinco filho que escolhi 3 cesáreas eletivas, escolhi parir meu quarto filho mentindo no hospital e escolhi parir minha quinta filha em casa!  Eu sou uma consumista que escolheu usar fraldas de pano coloridas e lindas, importadas e nacionais só para minha filha ficar mais linda!  Eu sou uma mãe preguiçosa que escolheu colocar o bb na cama comigo para não precisar ficar levantando de noite!  Sou consumista pq adoro brinquedos da Fisher Price e Lamaze, adoro roupas lindas importadas e adoro bugigangas fofas que não servem para nada!  Adoro lembrancinha de aniversário que vem com foto do bb e que depois eu não sei o que fazer com ela.  Adoro festa em buffet infantil colorido e cheio de luzes piscando.  Adoro Galinha Pintadinha, Xuxa Só Para Baixinhos, Patati Patatá e fico com os olhos todos molhados quando vejo meu filho feliz por encontrar os palhaços em um show na escola!  Ou quando ele canta "alguém que mora lá no céu gosta de mim".  Eu sou preguiçosa, pois deixo meus filhos assistindo TV para eu poder fazer o almoço ou limpar a casa ou mesmo ficar no computador um pouco!

Essa sou eu!  Se ser assim é ser menos, então eu sou menos para algumas pessoas.  Se ser assim é ser mais, então sou mais para essas pessoas!  Mas independente do rótulo que me dão, eu sou MÃE e sou a MÃE dos meus filhos!

Eu não sou heroína pq tenho 5 filhos, uso fraldas de pano, não dou chupeta, pratico criação com apego, tive vba3c e um parto desassistido.  Não!!!  eu não sou nada disso!!!!  Eu sou mãe, tenho minhas escolhas e não sigo um modo de vida pré estabelecido por um grupo ou outro de pessoas!  Eu sou mãe e sigo o MEU modo de vida!!!!  E se ser assim me traz algum rótulo eu não ligo mais para isso!!!

A partir de hoje eu sou UMA MÃEZINHA* FELIZ!!!!



* o termo mãezinha pode ter um sentido muito pejorativo, diminuindo a mulher e seu papel como mãe.  Mas mãezinha tbm pode ser um termo carinhoso e lindo!  Mãezinha pode ser uma mãe delicada e carinhosa.  Mãezinha pode ser um jeito lindo do filho chamar a mãe.  Mainha em alguns estados do Brasil é um jeito de chamar a mãezinha!

** Menasmain é um termo usado para rotular as mãezinhas no sentido pejorativo.  As menasmain geralmente são aquelas que se defendem em conversas que não estão atacando ninguém, por exemplo uma pessoa fala: a amamentação fortalece o vínculo entre a mãe e o bebê.  A mãezinha vira e fala: não sou menasmain pq dou mamadeira para o meu filho.  eu amo e cuido dele com muito carinho...
Sim, vc não é menas.  Vc só não entendeu o que eu falei...
As menasmain sentem-se constantemente atacadas por não sentirem-se seguras com suas escolhas!  Elas não amam menos os seus filhos e nem não menos mães!

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

"Tempo, tempo, mano velho"

Quando a Luiza nasceu tudo era novidade.  Sorriu, pegou um brinquedo, segurou o pé, "conversou", sentou, engatinhou, andou...  Tudo...  Mas eu sempre desejava mais.  Colocava ela "sentada" apoiada em almofadas para fotografar a Luiza sentada com 2 meses!!!  Eu não via hora dela sentar, engatinhar, andar...  Sempre procurando antecipar o natural.  Estimulando para que ela desse o próximo passo logo!  E torcendo para que as coisas que não tinham como ser estimuladas acontecessem rápido: dentinhos, por exemplo, que foram nascer aos 7 meses só!  E então um dia eu olhei para a Lu e ela não só andava como corria.  Não só falava, mas contava histórias inteiras!  Sua boca já estava cheia de dentes, seus cabelos já formavam cachos abaixo dos ombros.  Ela cresceu e eu nem vi.  Não curti o sorriso banguelo, pq eu queria logo ver um sorriso cheio de dentes.  Não curti um bb molinho no colo pq eu queria um bb que sentava.  Não curti os tombos de lado de um bb que tinha acabado de aprender a sentar, pois minha preocupação era que ela não só sentasse, mas que ficasse sentada firme e que aprendesse a sentar sozinha logo!  Não curti as engatinhadas pela casa, pois ansiava pelos primeiros passos.  E tudo pelo que eu esperava chegou e nada do que havia passado eu tinha curtido.  E deu aquela saudade das coisas que não vão voltar mais...
E veio o Henrique.  Com ele tudo foi diferente.  Eu sabia que o tempo passava rápido e que ele cresceria antes que eu percebesse.  Enquanto eu via pais colocando seus pequenos bbs de 6 meses em pé e tentando fazê-los andar, eu colocava o meu bb deitadinho e beijava muito aquela barriga redonda e macia só para ouvir suas gargalhadas.  Enquanto eu via pais forçando seus pequenos bebês de 3 meses a sentarem, eu fazia questão que meu bebê ficasse deitado e aprendesse sozinho a rolar...  No entanto, Henrique engatinhou com 7 meses (idade considerada normal) e andou com 11 meses!  Em seu aniversário de 1 ano, corria em volta da casa com as crianças da festa!  Mesmo sem eu fazer nada, meu bb tbm cresceu rápido.
Pietro chegou e eu já conhecia muito bem o meu maior vilão: o tempo!  Mas quando Pi nasceu eu estava começando a ver o mundo diferente: forma de nascer, de criar, de cuidar...  Um maternar diferente.  Oba!!!  Vou curtir muito esse bebê pequenininho!  Pietro era delicado, pequeno.  Meu fuinha, como eu o chamava!  Decidi que ele só se alimentaria quando tivesse condições de sentar sozinho sem apoio e quando tivesse dentes.  Rá-rá!  Com 5 meses apontou o primeiro e o segundo dente!  Com 6 meses ele já sentava sem apoio.  Para amenizar minha dor com seu rápido crescimento, ele resolveu que ainda não era hora de começar a comer e continuou mamando no peito até 7 meses e meio exclusivamente.  E só depois dessa idade é que passou a atacar os pratos de comida!  Assim como os outros, engatinhou e depois andou.  Mas andou só com 1 ano e quase 3 meses!  O que me deixou um tanto feliz, pois foi meu bbzico por um pouquinho mais de tempo!  Demorou a falar com palavras, pois falava com sinais que ele mesmo criou! Mas isso o tornava mais fofo e bb para mim.  Nunca retardei  ou dificultei o desenvolvimento dele, mas eu gostava quando ele não se adiantava nas coisas!
E então chegou Francisco.  Esse eu não queria que crescesse de jeito nenhum.  Tanto não quis que ele não crescia mesmo.  Estatura abaixo da média a partir do quinto mês.  E peso baixo tbm...  Porém com 3 meses meu sorriso banguelo se foi.  Chorei escondido, pq pensei que nunca mais teria um sorriso sem dentes para mim! Com 5 meses já se arrastava e logo engatinhou.  Desespero!  Quero um bebê por mais tempo! Com 7 meses resolveu que comer era a melhor coisa do mundo. Com 8 meses me chamava de mamãe, com 9 meses chamava o pai e o Henrique! Com 1 ano tinha um vocabulário de mais de 10 palavras com 2 sílabas!  O que é isso?  Tempo, seu feio.  Não só passou rápido demais como tbm deixou meu bb crescer...  Que aliás, só foi crescer em estatura mesmo depois que me entendi com esse tal tempo.  E então ele voltou a esticar e engordar...  E eu olhei para trás e vi que passou rápido demais...
Rebeca, meu bb surpresa, chegou pequena!  A menos dos meus 5 filhos!  3,360kg, 49cm.  Minha menininha linda de rostinho miúdo.  Tempo, tempo!  Por favor, passe lentamente.  Deixa minha pequena crescer devagar e não passe tão rápido!  E parece que foi ontem que ela nasceu. Ainda me custa acreditar que ela é uma menina! Ainda olho para ela e falo: você é uma menininha!  Igual no dia em que ela nasceu e que eu a peguei e olhei para ver se era nossa menininha!  E Rebeca chegou sorrindo!  Olhava fixo nos nossos olhos.  Imitava nossas expressões e o pai perguntava: mas isso é normal tão cedo?  E eu pensava: tempo, tempo...  me dá mais tempo, por favor...  E ela sorria e ela crescia... E com 2 meses e 10 dias já pegava seu paninho ou seu brinquedo por vontade própria.  O que é isso?  Pq tão cedo?  E de repente começou a conversar...  E dorme feito a Bela Adormecida.  Uma mocinha que já não mama mais de madrugada!  Como assim?  Pode isso, produção?  E fica brincando sozinha até adormecer SOZINHA!  Como assim, Bial?  E tem dias que nem chora para mamar!  Quero meu bb de volta!  Devolvam ele, ETs!  E levem esse bb de brinquedo de volta!  Como diz o Henrique: ela é muito perfeita para ser de verdade!
E tudo isso que contei foi para dizer que ela está crescendo muito, muito rápido!  E que hoje (11/02), com 3 meses e 15 dias, Rebeca pegou o pé e colocou na boca! E não foi só isso!  Quando olho o meu sorriso mais lindo do mundo percebo que logo não será mais banguelo!  Dois dentes já forçam a gengiva e estão prestes a acabar com meu sorriso banguela!  E bate aquele desespero de não poder segurar o tempo.  De sentir ele escorrendo pelos meus dedos enquanto os dentinhos da minha filha insistem em querer aparecer!
E enquanto dois dentinhos querem surgir, dois dentinhos amolecem para cair.  Pietro está quase ficando banguelinho!
E o tempo não passa.  Ele voa!

Leite de aveia




Durante minha última gravidez eu tive problemas com o leite de vaca.  Me tornei intolerante à lactose.  Era tomar leite para ter dor de barriga!  Foi horrível!  Eu sempre gostei muito de leite e chegava a tomar 1 litro por dia.  Sempre com  achocolatado ou chocolate em pó!  Leite, muito leite!  Tentei substituir por chás, mas é muito sem graça e como eu gosto de tomar toda hora, esquentar água, fazer o chá...  Eu não gosto de chá gelado...  E tentei tbm o leite de soja.  Gostoso (tá, eu gosto...), prático, mas enjoativo com o tempo, para não dizer que é maio carinho.  Chorei pq queria tomar leite e não podia.  Tomei e passei mal várias vezes...
Então Rebeca nasceu e a intolerância passou.  Nem vou descrever aqui como chegamos na proteína do leite de vaca...  Mas o fato é que se consumo leite de vaca a Rebeca sofre!  Tentei o leite de soja novamente, mas ela tbm reagiu mal.  Então achei no facebook o leite de aveia.  Eu adoro aveia.  Resolvi tentar!  Agora é só o que tomo!  Delicioso!  Para quem gosta de aveia, claro!  Minha receita é diferente de todas que vi.  As quantidades são bem diferentes!

2/3 de xic de aveia em flocos
1 litro de água

Eu coloco a aveia no liquidificador e aqueço a água até quase ferver.  Coloco a água no liquidificador e deixo a aveia de molho por uns 30 minutos.  Bato bastante.  Passo por uma peneira e tenho 1 litro de leite de aveia que não chega a custar nem 1 real!  Ele fica meio grossinho e quando levanta a colher parece gosmento.  Quando tomo, essa gosma não aparece.  Eu tomo com achocolatado (sem leite, soro de leite ou traços de leite) ou com açúcar e baunilha (meu preferido!).
Cheguei nessa quantidade pq todas as outras quantidades que achei na internet deixavam o leite tão grosso que era impossível tomar sem diluir.  Confesso que já fiz bem grosso, para diluir na hora de tomar, pois assim dura mais tempo kkkk
Como não uso pano para coar, mas só uma peneira comum, muitos pedacinhos passam para o leite.  Eu não ligo pq são pedacinhos que não dá nem para sentir.  Mas se for para dar para uma criança que toma naqueles copinhos de bico, pode entupir... 
Descobri que o leite de aveia tbm pode ser usado para substituir o leite de vaca em qualquer receita e para substituir o creme de leite, pois quando aquecido ele engrossa!  Com a vantagem de que é leve!
Tudo isso foi uma lição para mim!  Quando foi por mim, na gravidez, eu não aceitei.  Agora, quando foi pelo meu bebê, eu aceitei tranquilamente! 
Tem vezes que eu escorrego e como um pedaço de pizza!  Tem vezes que eu esqueço e como uma fatia de queijo!  Mas já passei uma semana inteira sem chegar perto de leite de vaca e derivados!
Então fica a dica para quem não pode ou não quer tomar leite de vaca!

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

A tal da Galinha




Cresci assistindo Xou da Xuxa.  Na verdade, cresci assistindo Mara Maravilha, pq eu estudava de manhã e a Xuxa passava de manhã também!  Sobrava a Mara que passava de tarde!  Mas eu curtia muito.  Caverna do Dragão, He-Man, She-Ra, Thunder Cats eram desenhos que eu amava e assistia com total atenção!  Nas férias, é clarooooo, que eu assistia Xuxa!  Lembro dela sentada em uma pilha enorme de cartas.  Ela conversava com um boneco de óculos e cabelos pretos.  Acho que ainda lembro do endereço: Av. Saturnino de Brito, 54 Jardim Botânico, Rio de Janeiro.  O CEP é 22470.  Só não tenho certeza se era 54 mesmo, mas o CEP era exatamente esse!  Escrevi inúmeras cartinhas para a Xuxa e minha tia pegava com a promessa de enviar.  Nunca soube se ela as enviava ou não!  Isso foi nos anos 80, mais ou menos há 25 anos atrás, quando eu tinha 8 anos.  Assisti esses desenhos, Xuxa, Mara, até meus 12 anos, quando a MTV passou a ser muito mais interessante.  Na verdade, foi quando a MTV passou a transmitir kkkkk
O tempo passou, eu cresci, tive filhos e a TV continua aí.  Confesso que detesto TV.  Ela acaba com o diálogo dentro de casa, faz as pessoas falarem mais alto e consequentemente a TV fica em um volume maior e as pessoas falam mais alto ainda e o volume da TV precisa ser aumentado e isso continua até as pessoas resolverem se calar ou o volume da TV estar no 100!  As notícias que passam são só sobre tragédias, mortes, tiroteios, assaltos e roubalheira na política!  Deprimente!  Salva-se a TV Cultura que passa uns desenhos legais durante todo o dia.  Já tive TV por assinatura, mas é tão deprimente quanto a TV aberta.  No primeiro mês é só novidades!  No segundo mês é só reprise e tudo fica sendo reprisado pelo próximo ano inteiro!  Não vi nada que prestasse e só gerou brigas e mais brigas dentro da minha casa, pois todo mundo queria assistir uma coisa diferente!  Cancelei!  Ponto final!
Mas voltando uns anos atrás, Luiza ganhou um VHS da Xuxa Só Para Baixinhos 2.  Ela tinha uns 4 anos?  Ou será que era menos?  Não me lembro.  Acho que era 4...  As músicas eram versões em português de músicas infantis americanas.  Acho que todas elas!  Eram bonitinhas e logo a Luiza tinha decorado todas as letras, todas as coreografias e a ordem das músicas!  E eu também, que dançava junto e tudo!  Colorido, chamativo, sem nada vulgar, sem nada que, do meu ponto de vista, desabonava o vídeo.  Achava até muito legal o vídeo começar agitado e ir acalmando o ritmo até terminar!
E veio o Henrique.  Quando ele tinha uns 8 meses e Luiza 6 anos, Rafael trouxe para casa o DVD da XSPB 4.  Alegre, colorido, com o tema praia, logo nos cativou.  Novamente as músicas eram, na sua maioria, uma versão em português de músicas americanas, mas eram muito legais! Depois veio o XSPB 5, com o tema circo e depois todos os outros!  Pietro aprendeu a gostar vendo o Henrique gostando.  Francisco aprendeu com Pietro e provavelmente Rebeca aprenderá a gostar vendo o Francisco!  Sim!  É colorido, muitas cores!  As coreografias são fáceis e eles aprendem muito rápido.  Sem contar as coisinhas como perto-longe, 1 a 10, vogais, cores...  Rápido, muito rápido eles estão cantando e aprendem sem nem perceber.  Educativos?  Nãããããoooo...  Definitivamente eu não acho os DVDs da Xuxa educativos.  São divertidos!
E então, em 2010 eu ouvi falar de uma tal Galinha Pintadinha!  Logo essa tal Galinha chegou em casa!  Colorida!  Muito colorida!  Entre uma música e outra aparecem umas galinhas estranhas com uma vaca mais estranha ainda.  Eu achei engraçado!  Mas o melhor: músicas nacionais!  Marcha soldado, a barata, indiozinhos, escravos de jó!  Aí vem alguém e diz que essas músicas são na verdade uma versão feita em português pelas criancinhas que ouviam os colonizadores cantando blá-blá-blá...  Mas são musiquinhas cantadas aqui no Brasil desde sempre, oras!  Enfim, amei a tal Galinha!  Meus filhos passaram a cantar músicas que eu cantava desde pequena!  Que legal isso!
E vieram as Galinhas 2 e 3 logo depois!  Acrescentadas ao repertório infantil daqui de casa.  Muitas pessoas talvez pensem que é um repertório pobre.  Eu não acho.  No meu celular, no meu computador e em CDs tem Palavra Cantada e Grupo Rumo.  Eles curtem igual!  Músicas infantis!  É isso que é legal!  Não estou criticando quem não gosta da Xuxa ou da tal Galinha!  Essa é a minha opinião! 
Eu sou muito eclética no meu gosto musical.  Agora posso estar cantarolando Metallica e daqui há pouco, cantando a plenos pulmões Alceu Valença!  A Xuxa não estragou meu gosto música hahahah  Francisco adora a Xuxa, mas canta o dia inteiro Anunciação (“tu vens, tu vens.  Eu já icuto o seu sinal” – ainda vou filmar ele cantando!). Mas sabe o que eu não gosto?  De pessoas que não gostam da Xuxa, da Galinha ou de qualquer desses infantis e ficam falando mal!  Outro dia ouvi uma pessoa comentando: “Essa Galinha dá medo...”  Será que essa pessoa já ouviu Taquaras, do Palavra Cantada?  Eu tinha que pular essa música quando o Henrique era menor!  Ele morria de medo, de chorar!  Então, o que é mais prejudicial?  A Galinha Pintadinha na música Escravos de Jó ou Taquaras do Palavra Cantada?  Na minha opinião, nenhuma delas!

Agora sem noção é o que vi hoje: proposta pedagógica baseada na família da Galinha Pintadinha AAAAAFFFFFF  Socorro!  Mas a culpa não é da pobre Galinha.  Mas sim das pedagogas sem noção.

“E a vida é uma delícia” (Galinha pintadinha)